segunda-feira, julho 11, 2022

Orientação jurídica especializada em Bancos e seguradoras. Não enfrente as feras sozinho...!

by on julho 11, 2022


Orientação jurídica pode ser aliada importante para empreendedores que precisam de crédito. Também para demandas com seguradoras.

 

.Os serviços disponíveis podem ir desde a orientação antes da assinatura de contratos com instituições financeiras, passando pela defesa em casos de já endividamento e até a indicação de alternativas de crédito mais vantajosas, mas pouco conhecidas, como as linhas de crédito estrangeiro.

Em época de crise econômica como a que o país enfrenta nos últimos anos é comum aumentar a procura por crédito e, consequentemente, subirem também os índices de inadimplência.


Uma das razões que levam a este quadro é a rasa compreensão sobre os termos contemplados na maioria dos contratos praticados pelas instituições financeiras por parte de quem busca por empréstimos. E também, muitas vezes, pela falta de alternativas mais vantajosas e seguras, especialmente para os pequenos e médios empreendedores.


Não raro, quem opta pelos empréstimos tradicionais e acaba se endividando recorre à orientação jurídica para negociar condições mais justas para quitar seus débitos com bancos e outras instituições financeiras. Mas o que muitas pessoas não sabem é que elas também podem contar com a consultoria jurídica justamente para evitar o endividamento, aconselhando-se com advogados especialistas em Direito Bancário que possam orientá-las a evitar cláusulas abusivas e, assim, a fugir dos equívocos mais comuns na hora de adquirir crédito.

.O advogado Mário Martinelli é um desses profissionais. Com uma trajetória de algumas décadas no mercado financeiro, Martinelli construiu, nos últimos anos, uma carreira de defensor do enorme contingente de clientes com dívidas em bancos. O ‘Advogado de Defesa’, como ele mesmo faz questão de se apresentar nas redes, recebe seus clientes num confortável escritório da Avenida Jerônimo de Carvalho, em Atibaia. São pessoas ou empresas que têm algum tipo de contencioso com instituições financeiras – especialmente bancos – e que, na maioria das vezes, têm dificuldades em negociar acordos que viabilizem o pagamento, seja por desconhecimento das regras que norteiam o mercado financeiro, seja por abusos em cláusulas em contratos impostos no momento da contratação do crédito.

Segundo o jurista, é aí é que entram os serviços que conhece como ninguém num mercado que oferece facilidades, mas as quais eventualmente podem se transformar em dores de cabeça.


Empresas e pessoas físicas podem então recorrer à orientação jurídica especializada para colocarem em ordem suas dívidas e poder trabalhar com mais tranquilidade.


O próprio Martinelli trabalhou muitos anos no mercado financeiro, em bancos nacionais e estrangeiros e, desde 2004, usa esta experiência para ajudar empresas e pessoas físicas em suas nem sempre tranquilas relações com bancos e financeiras, como ele explica. “Tenho vasta experiência em Direito Empresarial e Bancário e gosto muito de assistir o consumidor em suas disputas com os gigantes do mercado financeiro.”


O advogado alerta que quem precisa tomar dinheiro emprestado das instituições financeiras deve ter muito cuidado, definindo claramente quais são as condições de pagamento, os juros e prazos.


Ele lembra também que existem muitas alternativas de linhas de crédito no mercado, mas é importante que o tomador tenha muita clareza em relação à dívida que está assumindo. “Atualmente os gerentes de banco fazem um papel de vendedores, cumprem metas de vendas e, infelizmente, nem sempre estão preparados para orientar o cliente, como era comum até alguns anos atrás”, acrescenta.


Mario Martinelli 2

Mário Martinelli, o Advogado de Defesa.

Como parte da sua atividade diária pelos direitos dos clientes de bancos, financeiras e seguradoras, Martinelli se especializou em contratos que tenham cláusulas pouco claras.

E no caso das seguradoras as ações são frequentes, já que a interpretação de uma cláusula do contrato pode permitir diferentes interpretações levando a seguradora a concluir que não vai pagar a indenização.

É muito importante que quando for adquirir um novo seguro de vida, o cliente atente para o grupo de cobertura de doenças graves incluídas no contrato. Deve estar bem claro quais doenças são consideradas graves e portanto dão direito à indenização prevista em contrato”.

Na ocorrência de uma doença grave quando a apólice está em vigor o contratante pode receber a verba indenizatória em vida.

É uma boa ajuda nessas ocasiões.

Em relação às empresas, os problemas também são frequentes, já que muitos empresários e empreendedores buscam recursos no mercado financeiro, na expectativa de fazer sua empresa funcionar e ter lucro.


No entanto os riscos também são grandes e frequentemente empresas entram em processo de recuperação, ou são encerradas por conta de dívidas que acabam se tornando impagáveis.


Para os empresários, Martinelli alerta que logo que eles percebam que sua empresa está em risco e que vai exigir um acompanhamento em relação às dívidas e contratos com instituições financeiras, é importante que recorram a um serviço especializado que poderá ajudá-lo.


O serviço do advogado especializado é importante para que o empresário tenha o conhecimento real da situação da empresa, possibilitando uma negociação mais efetiva com os credores. Além disso, ele poderá orientar o cliente em relação a linhas de créditos com juros menores e melhores prazos de pagamento.”


A mesma observação vale para as possibilidades que oferecem mais vantagem para o contratante..... porém com menor lucratividade para os bancos – como as linhas de crédito estrangeiro disponíveis no Brasil, mas que, no entanto, são pouco divulgados pelas instituições financeiras.


Cabe ao interessado buscar informar-se e então, mais uma vez, uma boa consultoria prévia pode ajudar.





*MATÉRIA ORIGINAL: https://jornalvisaodenegocios.com.br/orientacao-juridica-especializada-em-mercado-financeiro-pode-ser-aliada-importante-para-empreendedores-que-precisam-de-credito/

Da Redação. Reportagem: Elaine Lina. Contribuíram: Thiago Santinho e Arthur Gebara







h

quarta-feira, junho 29, 2022

NOVO GOLPE : PONTOS DO LIVELO

by on junho 29, 2022

 Os bandidos são espertos e bem informados. Agora estão abordando pessoas  que tem o sistema LIVELO de pontos de fidelidade, como esses do site da livelo.com.br :

Ganhe mais pontos com ofertas do Aniversário Livelo.

Os parceiros que você já conhece e compra, agora, com ofertas exclusivas! É só comprar a partir dos nossos links para juntar pontos e usar como quiser!

Aproveite o aniversário Livelo e escolha sua próxima viagem. Troque pontos por passagens, hotéis e muito mais!



Conforme a pessoa participante do programa faz compras em lojas parceiras, vai acumulando pontos como nos cartões de crédito.

Pois bem, os marginais descobrem o telefone do participante e mandam SMS como êsse:

TUDO FALSO!

Se vc clicar no link eles pedem o código de sua agencia e conta.
 
Então mandam uma mensagem pedindo para voce digitar sua senha, já em formato do seu banco, igualzinho, cores tudo.

Aí , como não podia deixar de ser pedem os dados de seu cartão para creditarem milhas correspondentes aos pontos.

Feito isso, eles vão sugar os valores de sua conta e os limites do seu cartão!

Beleza não?

A Livelo adverte sobre as fraudes e orientam o cliente como bloquear o numero do telefone dos picaretas.

Mande uma foto do sms para abuse@livelo.com.br, que eles orientam como bloquear esses SMS fajutos.

E boa sorte! 







terça-feira, maio 31, 2022

JÁ PASSEI O PIX....

by on maio 31, 2022

Esta semana uma cliente dona de lojas ligou para o escritório nervosa e muito aborrecida pois a gerente de uma loja da rede caiu no golpe do PIX falso.

PIX falso??? mais uma da bandidagem ???

Sim....o malandro entra na loja, vestido adequadamente, faz uma compra de aproximadamente R$2.000,00 e pergunta se pode pagar com PIX.

Claro disse a gerente interessada na boa venda.

Passe o whats da loja para eu transmitir o comprovante...pediu o cliente...

Passados os dados da loja para o "cliente" ,  minutos depois a gerente recebeu o comprovante....

Entregou os produtos e lá se foi o "cliente"...

Só que o valor não entrou na conta da loja!!!

Claro! O comprovante era falsificado....

Perda total! 

Mais um caso de policia!!!





Moral : CONFIRME A ENTRADA DO VALOR NA CONTA ANTES DE LIBERAR A MERCADORIA  !!

quarta-feira, maio 04, 2022

INVENTARIO, DOLOROSO, DIFICIL, MAS NEM SEMPRE.

by on maio 04, 2022

 A DOR PARA ÊLE ACABOU. 

    PARA A FAMILIA...  AINDA NÃO. 

        TEM O INVENTARIO PELA FRENTE...



No dia seguinte, as emoções desgastadas pela dor e pela saudade, começam a ser substituídas por preocupações mais praticas.

Entram em cena pensão por morte, saldos bancários, propriedades, gastos com o inventário, enfim disputas familiares, irmão contra irmão, todos desconfiando de todos e jogo de empurra das despesas para o colo da viúva meeira,💣

Afinal como decidir o que fazer?

Inventário judicial ou extrajudicial?😕

A primeira analise é verificar as condições legais de cada opção.

Tem herdeiros menores ou incapazes?  Não pode ser extrajudicial.

Os herdeiros estão em desacordo sobre a partilha?  não pode.

O falecido deixou testamento? não pode.

Tem bens no exterior ? Também não pode.

Definido que há viabilidade do inventário extrajudicial ? Ótimo !!

É muito mais rápido. Pode ser concluído em poucas semanas abreviando a ansiedade e o desgaste da família.😄

Mesmo assim, imprevistos podem ocorrer no extrajudicial, porém o inventariante escolhido pelos herdeiros e junto com estes, podem trabalhar em conjunto com o advogado e solucionar rapidamente essas questões.

Simplesmente porque tudo é discutido diretamente entre as partes com a coordenação de um bom e experiente advogado.

O trabalho de localização de ativos em bancos é facilitado com a expedição de ofícios pelo Cartório aos Bancos, sem necessidade de alvará judicial.

O Cartório pode também providenciar as certidões necessárias, as planilhas do ITCMD e , depois , se tiver imóveis, o registro no cartório de registro de imóveis.

Pode-se combinar data, hora e local com o escrevente de um tabelionato de notas e a assinatura será feita com todo o conforto e na conveniência dos interessados.

Pronto, está feito o Inventário!✌

Porém, de repente pode surgir um (a) terceiro (a) pleiteando participar da partilha, alegando, por exemplo, ter tido uma união estável com o (a) falecido (a).

Esse fato inviabiliza o inventario extrajudicial pois o dissenso entre herdeiros deve ser decido pelo Juiz.

Se tiver herdeiros menores e incapazes, ou testamento, ou bens no exterior, a saída é o Judicial.

Aí alguém pode perguntar : Inventário ou arrolamento?

O arrolamento é uma forma teoricamente mais simples do inventario judicial.

O arrolamento é uma forma mais simples de inventário. Quando a totalidade dos bens for inferior a 1000 salários mínimos, é feito o arrolamento, por determinação legal (artigo 664 do CPC)

Porém como as condições - exceto no item valor - são idênticas ao extra judicial, esta será a opção natural.

Pergunta-se :  é necessário contratar advogado? Por quê? Se eu vou fazer o inventário extrajudicial?

Esclarecemos que a determinação de que é imprescindível a contratação de um advogado decorre da Lei 13.105/2015, o Código de Processo Civil, artigo 610 que no parágrafo segundo determinou: “O tabelião somente lavrará a escritura pública se todas as partes interessadas estiverem assistidas por advogado ou por defensor público, cuja qualificação e assinatura constarão do ato notarial.”

Além disso , o advogado acompanhará todo o processo em ambas as possibilidades.

No extrajudicial pode haver questões paralelas importantes como o caso de que o falecido vivia em união estável informal, como incluir a companheira no inventário?

E se companheira for ainda oficialmente casada com outra pessoa?

E se houverem outros falecidos na linha sucessória sem inventario de bens?

E se os herdeiros forem de linhagem distinta, pais ou mães diferentes?

E se houverem bens ainda sob compromisso de compra e venda?💭

Ou se houver posses de bens, sem documentação?

Ou se os herdeiros, por questões de filiação, tiverem quinhões diferentes, pode-se equalizar?

Enfim, um inventário seja judicial ou mesmo extrajudicial, pode apresentar  questões que vão exigir a assistência de um bom advogado, com certeza.

Assim, nem sempre as coisas correm pacificamente no Inventário.  

Melhor dizendo raramente o inventário transcorre pacificamente.

Assim, a primeira providencia dos herdeiros é a escolha de um advogado que os represente profissionalmente.👔

Feito isso, é seguir em frente com paciência e harmonia, até por respeito à memoria do "de cujos".

Boa sorte!!

Dr. Mario Arcangelo Martinelli




segunda-feira, dezembro 27, 2021

GOLPE DA MULTA DO BANCO CENTRAL SOBRE CHEQUE DEVOLVIDO

by on dezembro 27, 2021

MULTA DO BANCO CENTRAL SOBRE CHEQUE SEM FUNDOS

Hoje recebi no escritório a consulta de uma cliente assustada pois estava sendo AMEAÇADA  por  uma empresa de cobranças de que seria  protestada por  uma multa devida ao Banco Central, pela devolução de um cheque sem fundos!

A multa era calculada pelo valor do cheque, mas poderia ter uma desconto de até 90% se fosse paga imediatamente.

Quantos incautos tal golpe já lesou?

Os golpistas mandam mensagens assustadoras...POR EMAIL, WHATSAPP e
TELEFONE!

Agora fica a pergunta : quem informa os dados dos cheques fundos aos golpistas?

Quem informa os dados dos emitentes  desses cheques eventualmente devolvidos por falta de fundos?

De posse dessas informações, o golpista tem acesso ao CPF da vitima e daí ao endereço e telefone é um pulo fácil.

Nossa orientação:

  • O Banco Central não faz esse tipo de cobrança.
  • Entre em contato com o banco ou instituição financeira que forneceu o talão de cheques.
  • Não faça nenhum pagamento .
  • Peça ao gerente de sua conta que consulte o Relatório de Cheques sem Fundos (CCF)

 Quando ocorrer qualquer cobrança, consulte seu advogado para verificar sua legitimidade, pois os vigaristas usam de alguns dados verdadeiros (existe mesmo a anotação do cheque sem fundos) para montar o golpe.


                                        

 
                                  Dr. Mario Martinelli
                                       OAB/SP 27.588
             50 ANOS ATUANDO COMO ADVOGADO DE DEFESA

 

segunda-feira, outubro 04, 2021

SEGURO DE DOENÇA GRAVE EM SEGURO DE VIDA

by on outubro 04, 2021

     

                                                                            

SEGURO DE DOENÇA GRAVE EM APOLICE DE VIDA

Você é cliente de um grande Banco, tem bom relacionamento com seu gerente...logo ele - ou ela - lhe oferece um excelente negocio : UMA APOLICE DE SEGURO DE VIDA!!

Então você tenta escapar porque já tem uma apólice ou porque não tem preocupação com a morte...então vem um argumento interessante : 

-" Nosso seguro de vida é especial pois cobre também DOENÇA GRAVE,  afinal pode acontecer com qualquer um e quem for acometido com doença grave terá muitos problemas e gastos."

" - Nosso seguro tem clausula de cobertura para DOENÇA GRAVE!!!"

Aí você pensa...puxa essa cobertura para DOENÇA GRAVE é realmente  interessante...pois nessa situação todos precisamos de recursos extras...

Vamos fechar!

Então você assina uma autorização para debito mensal em sua conta corrente e "voilá" estás segurado em caso de alguma doença grave lhe acometer!!!

Passa algum tempo e...de repente você é acometido de uma doença grave, crônica, incapacitante como por exemplo a pouco conhecida 'DOENÇA DE CROHN".

Aí você entra em um calvário de internações hospitalares, intervenções cirúrgicas, tratamentos especializados, medicações de alto custo, as quais você realmente não pode pagar e pior, você não tem plano de saúde, por conta de seu custo impeditivo.

Então você se lembra da clausula de DOENÇA GRAVE,  que consta na sua apólice de seguro de vida.

Nesse momento começa o novo calvário. como fazer para receber a indenização contratada?

Você comunica a ocorrência de sua DOENÇA GRAVE ao seu banco que te direciona para o aplicativo, claro.

A partir dai é um caminho solitário. chamado VIRE-SE.

Depois de apresentar dúzias de documentos, vem o veredito da Seguradora : SINISTRO INDEFERIDO !

Alega a seguradora que a DOENÇA DE CROHN, assim como dezenas de outras DOENÇAS GRAVES, não consta nas condições gerais da apólice, arquivada em algum Tabelionato de Notas, onde são mencionadas apenas cinco doenças elegíveis :

I – DOENÇA NEOPLÁSICA MALÍGNA (CÂNCER OU TUMOR MALÍGNO)

II – DOENÇAS CARDIOLÓGICAS

III - DOENÇAS NEUROLÓGICAS

IV – TRANSPLANTES DE ÓRGÃOS VITAIS

V – INSUFICIENCIA RENAL CRONICA

Ahhh, mas não pensem os portadores dessas doenças graves que receberão tranquilamente aquela cobertura securitária comprada e paga todo mês !

Veja que ainda nessas cinco hipóteses de DOENÇAS GRAVES tem coberturas EXCLUIDAS:

Riscos Excluídos:

A) as displasias, lesões pré-cancerígenas, os tumores benignos e qualquer tumor maligno de outros órgãos e aparelhos;

B) para portadores do sexo feminino, exclui-se ainda: o carcinoma “in situ” (incluindo displasia cervical), neoplasias malignas primárias de pele na região das mamas, neoplasias não primárias do tecido mamário na região anatômica das mamas e neoplasias não primarias na região anatômica do útero;

C)Angioplastias transluminal coronariana e procedimentos intra-arteriais (procedimentos realizados no interior dos vasos sanguíneos arteriais objetivando sua desobstrução e restauração e restabelecimento do fluxo sanguíneo), como colocação de “stents”, as cirurgias para implantação de marca passo e as cirurgias de ablação.

Muito bem, ocorre que essa limitação de cobertura não foi explicitada no momento da contratação da apólice. Aliás,  as tais "condições gerais" não aparecem nos aplicativos dos bancos.

Resultado, o consumidor ludibriado é obrigado a contratar advogado e recorrer à justiça.

Felizmente o Poder Judiciário tem reconhecido o direito dos acometidos de DOENÇAS GRAVES, de receber as indenizações contratadas nas apólices. (*)

Assim, se você tiver apólice de seguro de vida vendida por seu gerente de conta, verifique se consta a cobertura DOENÇA GRAVE .

 Na incidência do mal, prepare-se para a luta, mas não desista de seus direitos.

Recorra à Justiça! 

*(este é um caso real, o Banco é o Santander, a Seguradora é a Zurich ,na Comarca de Atibaia/SP)




Sobre

Um espaço para abordar temas de interesse na área legal. Quem preferir pode entrar em contato reservadamente pelo formulário ou por email.

Visualizações de página