quarta-feira, setembro 16, 2009

DATA VENIA


DATA VENIA
Marcial Salaverry

Acusam-me de assédio sexual,
perdoe-me se me portei mal,
em minha invasão domiciliar,
mas meu intuito era apenas algo furtar,
mas não me foi possível resistir à tentação
provocada pelo corpo em exposição,
com irresistível sedução...


Assim, se algo aconteceu, nada foi forçado,
apenas um forte e mútuo desejo deu seu recado...


E como nenhum causídico quis minha causa abraçar,
por eu ter tentado aquela dama abraçar,
Meretissima, permita-me advogar em causa própria...
Apesar de não haver cursado Faculdade,
ainda sou senhor de minhas faculdades...


Data venia senhora Juiza, para melhor
poder me defender, 
e a justiça não fender,
peço um habeas corpus, pois 
com o corpo livre, melhor satisfarei
os desejos da litis consorti...


Notei uma dúvida na petição da vítima,
que parece haver apreciado a invasão,
e, como in  dubio pro reu,
considero conditio sine qua non
a concessão do quanto solicitado...




E nem careço de advogado...


Para penetrar em seu recinto,
serei bem sucinto...


E faço a petição à 
Meretíssima Juiza...


Por ser um caso de litis consorti,
prefiro que seja leito com sorte...


Nestes termos, 
para curar de seu coração o ferimento,
desejo reparar o ato cometido,
voltando à cena do dito crime,
para nova reconstituição...
Nestes termos, peço deferimento...

Marcial Salaverry



OPINIÃO ADVOGADO DE DEFESA / MARIO ARCANGELO MARTINELLI


Ótima...e o Marcial não é advogado....




Mario Arcangelo Martinelli

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se inscreva como membro deste blog e acompanhe assuntos de interesse geral, na área jurídica.

Sobre

Um espaço para abordar temas de interesse na área legal. Quem preferir pode entrar em contato reservadamente pelo formulário ou por email.

Visualizações de página